Camorra em os Intocáveis.


Saudações a todos, já estamos de volta!

Acho que sou um tanto suspeito de falar desse trabalho, pois assim como meu mano Leon (grafiteiro) e outros locos ai, sou o que podem chamar de "ZN Lovers" rsrsr. Gosto de valorizar os talentos da quebrada, quando vejo um Grafitte novo em um muro da quebrada, ou algum muleke novo se destaca como MC, DJ ou B.boy me alegro, me sinto de alguma forma satisfeito. Não posso deixar de sentir a mesma sessão em saber que o Camorra ainda está na ativa, e principalmente com um trabalho novo tão bonito como "Os Intocáveis" (vide imagem a baixo) e a mesma formação.



Já sou admirador do trabalho do Camorra desde o primeiro trabalho chamado "Vírus" (vide a imagem a baixo), que na minha opnião faz parte dos Clássicos Nácionais, foi um marco, sim, os caras bagunçaram o tabuleiro em 2001 com o que na minha opinião foi e pelo jeito ainda é um dos melhores Flow por aqui, os diferenciais da época e que também estão presentes no novo trabalho são combinação harmoniosa dos timbres de vozes de  Anderson, Cleverson e Ney, aquele clássico bate bola de rimas entre os MC's, coisa que a muito não se vê e claro o discurso positivo pelo qual na época foram até perseguidos. 



Na minha opinião eles já apontavam e inauguravam uma nova proposta no Rap Nacional, fórmula essa que é tanto usada hoje em dia pelos novos artistas, talvez não por todos, mas que pela extensa evidência de alguns hoje, outros insistem em dizer que é algo novo. 

Nesse novo trabalho eles passeiam pela MPB, Soul, Samba e tem até um pouco de Pop de forma gostosa, uma das faixas que me chamaram a atenção foi a faixa 08 que leva o nome de Tempos Modernos e tem participação de Luana Jones moça de timbre suave nos vocais do refrão que fez um trabalho excelente. A faixa me chamou a atenção por tratar da Diversidade Sexual, algo quase que proibido no RAP em geral, não só aqui, pois o RAP sempre teve uma postura machista e falar de homossexualidade então só de forma pejorativa, até o momento desconheço alguém do RAP ter tido uma atitude tão ousada a ponto de afrontar esse preconceito homofóbico do RAP com esse tema, apesar de o Hip Hop possuir em sua essência, a luta por igualdade e a manifestação dos excluídos. Único caso isolado de "afronta" foi o de Celso Athayde que foi além ao anunciar que iria produzir o "Gangsta G" segundo suas próprias palavras "um grupo de homossexuais assumidos que cantam rap, no maior estilo cara feia".

Caso queira ler mais sobre esse tema, de uma conferida nessa matéria no link do Blog da CUFA do Acre. ou no Site do Celso Athayde.


Voltando ao Camorra, o trabalho novo conta com participações do calibre de Pedro Mariano e Wilsom Simoninha além de outros artistas que mandam super bem, recomendo "Amigos e Amantes" e "Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado" bom, é um álbum pra ouvir de ponta a ponta, vale conferir.

Quero deixar aqui registrado o meu Parabéns ao Camorra pelo trabalho, e desejar que sejam muito bem vindos de volta e que sejam muito bem sucedidos.

Se manisfestem, comentem e compartilhem. Abraço aos leitores e até a próxima!

Postagens mais visitadas